segunda-feira, 5 de abril de 2021

GLOBALISMO CRIOU A PANDEMIA Covid para impor o Resset Mundial..

Posted by  on 02/04/2021

O GLOBALISMO criou a operação Covid para impor o ‘Great Reset’ : Italiagate ainda é o escândalo que pode explodir os planos da NWO: esta é uma grande análise crítica juntando os pontos do jornalista italiano bilíngue Cesare Sacchetti , que primeiro chamou nossa atenção para o ‘Italygate’  em relação à fraude massiva nas recentes eleições presidenciais dos EUA. Ele não menciona isso abaixo, mas Sacchetti também chamou a atenção em seus posts no Twitter e no Telegram sobre como os  MSM italianos recentemente hospedaram criaturas como Nancy Pelosi, Gates e Obama  (veja aqui e aqui ). Ele faz um trabalho sólido ligando as agendas globalistas / NWO e eventos atuais globalmente com o que está acontecendo na Itália. O Italygate é um ninho de vespas esperando para ser exposto.

O globalismo criou a operação terrorista Covid-19 para impor a “Grande Reinicialização”: Italiagate ainda é o escândalo que pode explodir os planos da Nova Ordem Mundial

Fonte: La Cruna dell’Ago

por Cesare Sacchetti

A concepção da operação terrorista da pandemia pelo coronavírus não data de 2020. As elites já buscavam nos anos anteriores criar um evento catalisador tão poderoso e devastador a ponto de arrastar definitivamente o mundo para um governo mundial centralizado. Foi o próprio David Rockefeller, poucos anos após a queda do Muro de Berlim, em 1994, que revelou a uma audiência das Nações Unidas que tudo estava pronto para chegar à “Nova Ordem Mundial”.

Tudo o que era necessário era uma “grande e justa crise” que forçaria as nações a “aceitar a implantação de uma Nova Ordem Mundial”.

A lógica do globalismo sempre foi essa ao longo das décadas e permaneceu essencialmente inalterada. É sempre e somente as crises [na sua imensa maioria fabricadas] que permitem que Maçonaria e as famílias globalistas dêem passos gigantescos em direção ao seu plano final.

Entre as várias opções disponíveis, as elites recuaram na crise pandêmica e suas intenções não haviam sido escondidas em algum documento secreto.

Eles foram revelados abertamente já em 2010 e foram os Rockefellers, quinze anos após suas declarações feitas à ONU, que os revelaram em um documento oficial intitulado “Operação Lockstep” . Lockstep em inglês significa a execução de um procedimento extremamente rígido e isso já deixa claro que tipo de sociedade surgirá da chamada “emergência sanitária”.

No entanto, é interessante notar que a família Rockefeller teve um papel decisivo na concepção desse plano. De acordo com vários pesquisadores e especialistas das grandes potências globais, depois dos Rothschilds, a família de banqueiros judeus de origem Ashkenazi [khazares], eles imediatamente entraram na hierarquia de poder globalista, os Rockefellers.

Os Rothschilds exercem seu poder principalmente sobre a Europa, enquanto os Rockefellers receberam o domínio dos Estados Unidos. Em qualquer caso, o documento em questão descreve exatamente tudo o que aconteceu após o aparecimento da pandemia Covid. Um vírus animal desconhecido sofre mutação e se espalha para os humanos. Os governos para enfrentar essa nova “ameaça” decidem exercer um controle férreo e autoritário sobre toda a sociedade.

Viajar é proibido e a obrigação de usar máscaras é imposta exatamente como aconteceu após o início da crise terrorista da Covid. Posteriormente, a economia mundial entra em colapso total intencionalmente porque as atividades econômicas são interrompidas devido a repetidos fechamentos impostos pelos governos.

Quando o mundo mergulha no caos, os Estados nacionais desaparecem gradualmente e dão lugar a enormes estruturas supranacionais de “governo” que ocupam o lugar das nações. O mundo está dividido em blocos e cada um deles é governado por entidades supranacionais essencialmente nas mãos dos poderes do Complexo Industrial Militar [indústria da defesa e aeroespacial], financeiro, agência de notícias [pre$$titutes que controlam a narrativa do que é “real”], as Big Tech e Big Pharma. Todos os políticos em quase todas as nações SÃO MEROS MARIONETES nas mãos do Estado Profundo.

Essa estrutura de blocos será então a base do futuro governo mundial tão ardentemente desejado pelo globalismo. A estratégia é, portanto, a comprovada que a Maçonaria vem praticando desde o início de sua existência. Ordo ab caos [Ordem vinda do Caos]. O caos planejado servirá, nessa perspectiva, para dar origem ao resultado já predeterminado pelos próprios arquitetos da desestabilização generalizada.

Nesse ponto, é importante ficar atento à história. Assim que os Rockefellers anunciarem em 2010 que será a “pandemia” – ou a percepção total da mídia dela, como é o caso da Covid – a arrastar o mundo para a implnatação da Nova Ordem Mundial, em 2015 os laboratórios da Moderna já estavam trabalhando  com os franceses no Instituto Pasteur para produção de [pseudo] vacinas de tecnologia de mRNA.

Segundo vários médicos e cientistas, essas injeções são capazes de modificar o DNA humano e são as mesmas que estão sendo distribuídas para a população atualmente. Para melhor compreender os danos que podem causar à população, é útil citar as palavras da cientista francesa Alexandra Henrion-Caude, que falava da “loucura absoluta na escolha de querer distribuí-los a sujeitos saudáveis”.

Uma vez que esse tipo de vacina entra no corpo, as interações com as moléculas podem ser infinitas e dar origem a reações devastadoras, a ponto de comprometer a integridade do sistema imunológico de modo irreversível.

Esse tipo de medicamento, entre outras coisas, segundo afirma outro cientista, o Dr. Michael Yeadon, ex-diretor científico da própria Pfizer, empresa farmacêutica que atualmente se dedica à sua produção, pode levar à esterilização das pessoas que os recebem.

Ou seja, a injeção com tecnologia mRNA da Pfizer-BioNTech e Moderna seria o caminho para atingir outro objetivo fundamental do globalismo, que é a redução drásticas da população. Tudo isso sem contar o elevado número de pessoas em todo o mundo que estão morrendo pelos graves efeitos colaterais dessas vacinas.

A médica americana Sherri Tenpenny explicou de fato como milhões de pessoas podem morrer no mundo se considerarmos que grande parte de seus efeitos colaterais devastadores se manifestarão dentro de 3 a 6 meses após a sua administração.

O paradoxo em tudo isso seria que a “cura” que o sistema propõe nada mais seria do que a doença real. O vírus é a inoculação da própria vacina contaminando pessoas saudáveis. A preparação para esta crise já estava, portanto, amplamente em andamento nos anos anteriores e a “pandemia” provavelmente deveria ter se desencadeado de qualquer maneira nesses anos.

Mas ocorre um evento que o globalismo não havia previsto: a eleição de Donald Trump

O imprevisto que atrapalhou os planos do globalismo foi a eleição de Donald Trump para a Casa Branca em 2016. A operação terrorista de coronavírus ainda tinha que acontecer, mas sob a administração Hillary [satanista] Clinton, que teria arrastado o mundo inteiro para este novo leviatã global.

Nesse contexto, a Rússia de Putin teria ficado completamente isolada, e a Grande Reinicialização anunciada pelo clube globalista de Davos teria ocorrido sem qualquer dificuldade. A eleição de Trump em 2016 não estava de forma alguma prevista porque o sistema não contava com a perda do controle dos Estados Unidos, que é simplesmente uma peça importante demais do tabuleiro de xadrez.

Manly P. Hall, outro maçom proeminente, explicou em sua obra de 1944, “America’s Secret Destiny”, que a missão da América seria conduzir o mundo inteiro à criação da Nova Ordem Mundial. O superpoder militar e econômico desta nação tem sido usado por décadas para atingir todos os líderes e nações que de alguma forma desafiaram o estado profundo de Washington e defenderam sua soberania.

Durante seu mandato, Trump separou a América do globalismo e do estado profundo, que para remediar o que aconteceu em 2016, com a perda das eleições de seu marionete satanista Hillary Clinton, o estado profundo orquestrou o que é provavelmente a maior fraude eleitoral da história da América e do mundo inteiro.


E NÃO SE ESQUEÇAM de que Joe Biden está tão senil que admitiu, diante das câmeras, em uma falha bizarra em seu discurso [talvez pela sua senilidade galopante] que os democratas produziriam “a mais ampla organização de fraude eleitoral da história da política americana”. Você pode vê-lo admitindo isso aqui, ESTA GRAVADO:

“We’re in a situation where we have put together, I think, the most extensive and exclusive voter fraud organization in the history of american politics”. [“Estamos em uma situação em que montamos, creio eu, a organização de fraude eleitoral mais ampla e exclusiva da história da política americana”.]


A fraude eleitoral contra Trump: o golpe de estado profundo para retomar a América

A noite da eleição de 3 de novembro deu início à operação quando ficou claro que Donald Trump estava vencendo o desafio com o fraco candidato democrata Joe Biden sem preocupações. Em algum momento da votação, a ordem foi dada e os escrutinadores pararam de contar simultaneamente os votos em seis estados chave principais.

Centenas de milhares de votos postais ilegais foram despejados nas urnas, todos ocorridos após o prazo final da meia-noite, e todos estranhamente a favor de Joe Biden. A fraude, no entanto, teve uma extensão muito maior e mais profunda do que a mera manipulação do voto postal.

Em 3 de novembro houve um ataque internacional à soberania dos Estados Unidos, uma verdadeira tentativa de golpe perpetrada por meio da colaboração decisiva de governos firmemente nas mãos do poder globalista.

Quando o estado profundo percebeu que Trump estava vencendo, apesar dos votos postais, teve que iniciar uma operação de hacking nunca vista na história. Em Frankfurt, onde os servidores do Dominion são mantidos em uma estação da CIA, muitos votos já haviam sido transferidos de Trump para Biden, mas a fraude ainda não era suficiente.

Italiagate: o papel decisivo do estado profundo italiano no golpe contra Trump

Trump ainda estava ganhando e então a Itália teve que se envolver. Foi aqui que nasceu o Italiagate, que é a chave de todo este golpe de estado nos EUA.  De acordo com o que já foi revelado por Maria Zack e Bradley Johnson, através dos sistema da empresa Leonardo S.p.A., com 30% de seu capital pertencente ao Ministério da Economia italiano, com sede em Roma, teria transferido completamente os votos necessários de Donald Trump para Joe Biden.

A Leonardo teria disponibilizado seu satélite militar por meio do qual os votos hackeados, já transferidos de Trump para Biden, seriam transmitidos aos Estados Unidos. Isso envolveria diretamente o então governo Conte no escândalo que de alguma forma teria consentido com esse ataque cibernético, que nada mais seria do que um ataque direto à soberania dos Estados Unidos.

O hack teria sido realizado via Veneto, na sede da embaixada americana então chefiada pelo Embaixador Lewis Eisenberg [judeu khazar], muito próximo aos lobbies neocon sionistas, que teriam disponibilizado o segundo andar do escritório diplomático dos EUA para realizar a fraude via atividades eletrônicas.

Um papel decisivo na viabilização desta fraude teria sido Arturo D’Elia cujo currículo revela muitas circunstâncias interessantes.

Na verdade, D’Elia não é de forma alguma estranho ao mundo da tecnologia da informação.  Em seu perfil do Linkedin, está claramente indicado como, no passado, D’Elia desempenhou o papel de especialista em TI do Ministério Público de Nápoles.

E este não é nem mesmo o papel de maior prestígio neste campo. Na verdade, D’Elia trabalhou diretamente para a OTAN como consultor de TI de 2010 a 2015. Então, em 2015, D’Elia chega à Alenia Aermacchi, empresa controlada pela Leonardo S.p.A..

Em seu perfil no Facebook, o hacker compartilhou suas fotos dos exercícios que praticou com a agência de inteligência NSA americana. Também é interessante notar como D’Elia sempre em seu perfil presente na plataforma Facebook, relatou o lema de Gladio “Silendo libertatem servo”.

Para quem não conhece a história da Operação Gladio, certamente é útil lembrar como se tratava de uma estrutura clandestina coordenada e administrada pelo estado profundo de Washington e pela própria OTAN para evitar que a Itália virasse comunista e escorregasse para o Pacto de Varsóvia na época da Guerra Fria.

D’Elia, portanto, trabalhou para aquele sistema de poder atlantista e globalista que tentou derrubar Trump desde o início de seu mandato. Ele não era um tolo e tinha todas as habilidades profissionais para realizar essa operação.

A mídia apressada e desajeitadamente tentou rotular essa história como [mais] uma “teoria da conspiração”, mas nem se deu ao trabalho de apresentar as evidências mínimas essenciais à versão contada por Maria Zack.

Agora D’Elia está na prisão em Salerno por outro crime relacionado à sua colaboração com Leonardo SpA em 2015, do qual ele supostamente roubou dados confidenciais. A chave para derrubar Donald Trump foi, portanto, o envolvimento do Estado Profundo italiano.

No entanto, o presidente Trump certamente não estava despreparado para essa eventualidade. Ele sabia que o globalismo não permitiria que ele ficasse por mais um mandato na Casa Branca e havia preparado uma ordem executiva em 2018 precisamente para frustrar e impedir a intromissão eleitoral estrangeira nos Estados Unidos.

A essa altura, seria bastante natural pensar que o plano para evitar esse golpe internacional tenha realmente falhado desde que Joe Biden assumiu o cargo. A esse respeito, entretanto, há uma citação muito popular entre os círculos mais próximos de Trump que poderia explicar o que realmente está acontecendo.

“Nada é o que parece”. Joe Biden é, sem dúvida, um presidente anômalo e um marionete senil. Ele nem mesmo recebeu um líder estrangeiro na Casa Branca desde o começo do seu mandato e ainda não deu uma entrevista coletiva oficial na Casa Branca.

Outra evidência dessa presidência anômala vem de um vídeo recente divulgado pela ABC News , no qual Biden é visto conversando com repórteres apontando seus microfones para ele, mas se você olhar de perto, as mãos de Biden estão passando incrivelmente bem … pelos próprios microfones.

Assista o vídeo do presidente fake dos EUA, abaixo:

Em outras palavras, a grande mídia pre$$titute é uma farsa sensacional, e alguém se pergunta qual é a necessidade de tal manipulação grosseira se Joe Biden está realmente no comando. Biden, entre outras coisas, fez saber que não irá nem mesmo para a fronteira sul com o México, novamente assediada por imigrantes ilegais, assim como Kamala Harris também fica imóvel.

O Pentágono também já se recusou em mais de uma ocasião a seguir as instruções do suposto presidente e isso sugere que existe uma administração fantoche em Washington, desprovida dos poderes efetivos que deveria ter no papel. O ataque dos EUA à Síria também apresenta anomalias gritantes, já que nem o Irã nem a Síria revelaram de fato quais foram os danos reais desse bombardeio.

A Grande Reinicialização que sob uma administração hipotética de Biden deveria ter sido “imparável”, como John Kerry , um membro da sociedade ocultista de Skulls and Bones e ex-secretário de Estado de Obama, que Kerry havia anunciado não está se manifestando.

Pelo contrário, mais e mais estados nos EUA estão voltando ao normal e levantando as restrições da pandemia Covid, e recentemente veio a notícia de que Nova York também está suspendendo o toque de recolher .

A esta altura, questiona-se o que realmente aconteceu em 20 de janeiro, quando Biden foi empossado. Numerosos indícios substanciais, a começar pela presença maciça da Guarda Nacional em Washington, sugerem que neste momento são os militares que detêm o papel de governo regente do país.

A esse respeito, é interessante notar de que em vários escritórios das bases militares dos Estados Unidos ainda falta a foto do comandante-em-chefe, Joe Biden. É um fato que não parece ter precedentes. Trump pode, portanto, ter transferido não oficialmente [sem alarde e sem cerimônias] o poder temporariamente para os militares enquanto esperava para realmente retornar ao cargo.

A chave para poder retornar à presidência é o escândalo de hacker Italiagate via Leonardo SpA. Para que a fraude eleitoral de 2020 seja definitivamente cancelada, os perpetradores desse hacking devem ser julgados.

O deep state italiano teria de fato tido um papel decisivo no golpe contra Trump e esse envolvimento não se limitaria apenas ao governo Conte e a Renzi, já acusados ​​de ter desempenhado um papel decisivo no portal espião, mas também no do atual governo italiano de Draghi [mais um grosseiro marionete do deep state].

É interessante notar a esse respeito como o governo Draghi nomeou em seu governo alguns homens da Leonardo SpA, sobretudo o Ministro da Transição Ecológica, o físico Roberto Cingolani . Cingolani é um personagem de quem já tinha ouvido falar nos últimos anos em suas apresentações no Leopolda, evento organizado por Matteo Renzi, cujo nome aparece com frequência nesta história.

O cientista também havia participado em 2016 da reunião anual da Comissão Trilateral , um dos braços operacionais do Clube de Roma e do globalismo fundado pelo inevitável Rockefeller em 1973. Os homens que têm vínculo com a Leonardo SpA no governo Draghi não se limitam a Cingolani, entretanto.

Já o chefe de gabinete de Draghi, Antonio Funiciello, vem da Leonardo e já havia sido chefe de gabinete de Gentiloni.  O mesmo Gentiloni que nomeou Alessandro Profumo como CEO da Leonardo SpA em 2017, reconfirmado pelo governo Conte em 2020. Entre outras coisas, uma sentença em primeira instância paira sobre a cabeça de Profumo por falsa contabilidade e manipulação de ações , crimes que teriam sido cometidos na época de seu mandato como CEO do Unicredit.

Nem Profumo nem a Leonardo SpA jamais negaram oficialmente o envolvimento da empresa no Italiagate, e isso é um tanto incomum, especialmente considerando que a Leonardo é uma sociedade por ações e certas comunicações ao mercado deveriam ser uma obrigação, pelo menos, para proteger os seus títulos de qualquer especulação nos mercados.

Em qualquer caso, parece haver um denominador comum mínimo que une os governos Renzi, Gentiloni, Conte e Draghi, e esse denominador comum parece ser uma hostilidade completa a Trump. A sensação é que Draghi, em última instância, por meio dessas nomeações, queria dar alguma cobertura política a Leonardo SpA, que teria desempenhado um papel decisivo no golpe eleitoral contra Trump.

Certamente houve, e ainda estão em andamento, tentativas claras de desviar para tentar comparar Draghi a Trump, mas já foi mostrado em ocasiões anteriores que todas essas tentativas fazem parte de uma campanha de desinformação orquestrada por círculos próximos à Liga e à Maçonaria para turvar as águas.

Assim que o governo Draghi assumiu, começou a fazer o que o sistema havia pedido. Fechamentos e bloqueios em massa e distribuição de vacinas de mRNA que estão causando graves efeitos colaterais à desavisada população italiana. Draghi não está fazendo nada além de arrastar a Itália para a “Grande Reinicialização”.

A “conversão” do ex-governador do BCE foi, portanto, nada mais do que uma mentira grosseira espalhada pelos círculos mencionados acima na tentativa desajeitada de oferecer um teste de tornassol à Liga, que precisava justificar seu sim de conversão aos olhos de seus constituintes .

Mario Draghi, mais um servil marionete dos oligarcas que controlam o establishment

Entre outras coisas, a Liga está atualmente no governo com vários expoentes do governo anterior de Conte que teriam tido um papel decisivo no hacker Italiagate da eleições nos EUA.

No entanto, um fato é certo. o hacker Italiagate é a mãe de todos os escândalos e sua explosão definitiva está determinada a permitir o retorno oficial de Trump à presidência dos Estados Unidos e a consequente e definitiva derrota da Nova Ordem Mundial e a prisão de muita gente, nos EUA e na Europa.

Uma vez que este evento acontecesse, um mecanismo seria posto em movimento que não só subjugaria o estado profundo de Washington, mas praticamente toda a classe dominante italiana que se prestou a ser capaz de realizar o golpe internacional contra os EUA de Donald Trump.

Tudo isso deve acontecer antes de 2024, porque Trump sabe perfeitamente bem que, se a fraude de 2020 não for revertida, nunca mais haverá uma eleição regular nos Estados Unidos novamente. Ultimamente, o presidente tem voltado a falar cada vez com mais frequência e um de seus conselheiros seniores anunciou que em dois a três meses Trump terá sua própria rede social.

Trump obviamente quer ter um espaço onde possa se comunicar, pois acredita em todas as probabilidades de eventos de tal importância já terem ocorrido naquele período que ele precisa de uma plataforma onde possa compartilhar postagens e escritos instantaneamente e sem qualquer censura, ao contrário do que acontece com o Twitter e Facebook que censuram tudo que não estiver de acordo com a narrativa da agenda do Estado Profundo.

A primavera está apenas começando [hemisfério norte] e algumas flores podem finalmente desabrochar. Ao mesmo tempo, aproxima-se a Páscoa da Ressurreição e a esperança é que a Ressurreição de Cristo conduza a um renascimento e a uma vitória definitiva das suas forças da Luz na Terra.

Drª Vandana Shiva, Ph.D. sobre a derrubada dos impérios de Bill Gates

A batalha entre a Luz e as trevas está longe de terminar. A guerra ainda não atingiu seu ápice e somente aqueles que resistirem até o fim sairão vitoriosos. No entanto, o desfecho deste confronto passará pela Itália [Roma a “cidade eterna” vai prestar contas]. As estradas que levam a Roma decidirão se a humanidade cairá ou não sob controle da Nova Ordem Mundial.

Postado por Blog INSPIRAÇÕES

Créditos ao site: Thoth3126@protonmail.ch

domingo, 4 de abril de 2021

DESFILE INEDITO EM PLENO SECULO 21 DOS DEUSES IMORTAIS DO EGITO ANTIGO...

PARA OS ROSACRUZES DO MUNDO TODO, UMA BÊNÇÃO E UMA GRATA HOMENAGEM POR TUDO QUE REPRESENTAM EM TODO MUNDO... >Desfile de faraós” sem precedentes na história. Elas foram transportadas do Museu do Cairo, onde repousam há mais de um século, ao Museu Nacional da Civilização Egípcia (NMEC), ao sul da capital, que será inaugurado no domingo 4/04/21.. Lindo de se ver..


 

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

As Tábuas de Esmeralda de Thoth, o Atlante.

O SIGNIFICADO ESPIRITUAL, Oculto e histórico das "Tábuas de Esmeralda" é quase inacreditável para o homem moderno. Escrito por volta de 36.000 a.C., por Thoth, um rei-sacerdote atlante, este manuscrito data muito além do alcance de quaisquer escritos egípcios já encontrados...

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Eles Querem Te Destruir De Alguma Forma...

Big Pharma é imune a processos legais por ‘Danos Colaterais’ que sejam causados por vacinas

Posted by  on 23/12/2020

Se você sofrer efeitos colaterais graves depois de receber a vacina da Covid , os advogados dizem que basicamente não há ninguém para culpar em um tribunal dos EUA. O governo federal concedeu a empresas [Big Pharma] como a Pfizer e Moderna  imunidade de responsabilidade caso algo de errado aconteça com suas vacinas. Você também não pode processar a Food and Drug Administration [FDA] por autorizar uma vacina para uso de emergência, nem pode responsabilizar seu empregador se ele exigir a inoculação como condição para voce manter seu emprego. Ou seja, o “camponês” não tem a quem recorrer, está “ferrado”

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Você não pode processar a Pfizer ou Moderna se tiver graves efeitos colaterais da vacina Covid. O governo provavelmente não irá compensá-lo pelos danos também

Fontes:  CNBC.Com

  • De acordo com a Lei PREP, empresas [Big Pharma] como a Pfizer e Moderna têm imunidade total de responsabilidade se “algo acidentalmente” der errado com suas vacinas.
  • Um programa governamental pouco conhecido oferece benefícios a pessoas que podem provar que sofreram lesões graves devido a uma vacina.
  • Esse programa raramente compensa, cobrindo apenas 29 reivindicações em quase 500 casos na última década.

Se você sentir efeitos colaterais graves depois de receber a vacina da Covid , os advogados dizem que basicamente não há ninguém para culpar em um tribunal dos EUA. O governo federal concedeu a empresas [Big Pharma] como a Pfizer e a Moderna imunidade de responsabilidade caso algo de errado aconteça com suas vacinas. 

″É muito raro que uma lei de imunidade geral seja aprovada”, disse Rogge Dunn, advogado trabalhista de Dallas. “As empresas farmacêuticas normalmente não oferecem muita proteção de responsabilidade sob a lei.”

Você também não pode processar a Food and Drug Administration [FDA] por autorizar uma vacina para uso de emergência, nem pode responsabilizar seu empregador se ele exigir a inoculação como condição para voce manter seu emprego.

O Congresso criou um fundo especificamente para ajudar a cobrir salários perdidos e despesas médicas do próprio bolso para pessoas que foram irreparavelmente prejudicadas por uma “contramedida coberta”, como uma vacina. Mas é difícil de usar e raramente compensa. Os advogados afirmam que ela compensou menos de 6% das reivindicações apresentadas na última década.

Imunes a processos judiciais

Em fevereiro, o Secretário de Saúde e Serviços Humanos Alex Azar invocou a Lei de Prontidão Pública e Preparação para Emergências . A lei de 2005 autoriza o secretário do HHS a fornecer proteção legal às empresas que fazem ou distribuem suprimentos médicos essenciais, como vacinas e tratamentos, a menos que haja “má conduta intencional” por parte da empresaA proteção legal às empresas dura até 2024.

Isso significa que, nos próximos quatro anos, essas empresas “não podem ser processadas por danos monetários em tribunal” por lesões relacionadas à administração ou uso de seus produtos para tratar, vacinar ou proteger a Covid .  O HHS recusou o pedido da CNBC para uma entrevista.

Dunn acredita que um grande motivo para a proteção sem precedentes tem a ver com a necessidade do cronograma acelerado [Warp Speed].

“Quando o governo disse: ‘Queremos que você desenvolva isso quatro ou cinco vezes mais rápido do que normalmente    faz’, provavelmente os fabricantes disseram ao governo: ‘Queremos que você, o governo, nos proteja de ações judiciais multimilionárias”, disse Dunn.

A vacina mais rápida já desenvolvida foi para caxumba.  Demorou quatro anos para ser desenvolvida e foi licenciada em 1967. A vacina Covid-19 da Pfizer foi desenvolvida e liberada para uso de emergência em oito meses – um fato que alimentou a desconfiança pública na inoculação de vacinas contra o coronavírus nos EUA.

Aproximadamente 4 em cada 10 americanos dizem que “definitivamente” ou “provavelmente” não tomarão a vacina, de acordo com uma pesquisa recente do Pew Research Center . Embora seja menor do que há dois meses, ainda aponta para uma enorme lacuna de confiança nas vacinas.

Mas as grandes {Big Pharma] farmacêuticas como a Pfizer continuam a tranquilizar o público de que nenhum atalho foi tomado. “Esta é uma vacina que foi desenvolvida sem economizar”, disse o CEO Dr. Albert Bourla em uma entrevista ao “Squawk Box” da CNBC na segunda-feira. “Esta é uma vacina que está sendo aprovada por todas as autoridades do mundo. Isso deve dizer algo”.

A imunidade legal concedida às empresas farmacêuticas não as protege apenas contra processos judiciais. Dunn disse que ajuda a reduzir o custo das imunizações. “O governo não quer que as pessoas processem as empresas que fabricam a vacina Covid. Porque então, os fabricantes provavelmente cobrariam do governo um preço mais alto por pessoa por dose”, explicou Dunn.

A Pfizer e a Moderna não retornaram o pedido da CNBC para comentar suas proteções legais.

Alguém é responsável se “ALGO” der errado ?

Lembre-se de que os fabricantes de vacinas não são os que aprovam seus produtos para distribuição em massa. Esse é o trabalho de agencias de governo como a FDA. O que levanta a questão: você pode processar o governo dos Estados Unidos se tiver uma reação extraordinariamente ruim a uma vacina?

Novamente, a resposta é NÃO.

“Você não pode processar o FDA por aprovar ou desaprovar uma droga”, disse Dorit Reiss, professora da Faculdade de Direito Hastings da Universidade da Califórnia. “Isso é parte de sua imunidade soberana.”

A imunidade soberana veio do rei, explica Dunn, referindo-se à lei britânica antes da Revolução Americana. “Você não poderia processar o rei. Portanto, a América tem imunidade soberana e até mesmo cada estado tem imunidade soberana.” Existem exceções limitadas, mas Dunn disse que não acredita que elas forneçam um caminho legal viável para responsabilizar o governo federal por um ferimento ou graves danos colaterais à saúde causado pela vacina da Covid .

Trazer trabalhadores de volta ao escritório em um mundo pós-Covid também acarreta um maior medo de responsabilidade para os empregadores. Advogados em todo o país dizem que seus clientes corporativos estão entrando em contato com eles para perguntar se podem exigir que os funcionários sejam imunizados com as vacinas.

Os clientes da Dunn que dirigem negócios atendendo clientes pessoalmente ou no local estão mais interessados ​​em exigir uma vacina da Covid para a equipe. “Eles veem isso como um ponto de venda”, disse Dunn. ″É particularmente importante para restaurantes, bares, academias e salões de beleza. Meus clientes nesse segmento da indústria de serviços estão empenhados em torná-lo obrigatório, como ponto de venda para seus clientes.” 

Embora isso seja em parte uma tática de relações públicas, esta legalmente dentro dos direitos do empregador impor tal requisito.  Exigir uma vacina é uma regra de saúde e segurança no trabalho, e os empregadores podem fazer isso”, disse Reiss. Existem algumas exceções notáveis. Se a força de trabalho for sindicalizada, o acordo coletivo de trabalho pode exigir uma negociação com o sindicato antes de exigir uma vacina.

As leis antidiscriminação também fornecem algumas proteções. De acordo com a Lei dos Cidadãos Americanos com Deficiências, os trabalhadores que não desejam ser vacinados por razões médicas podem solicitar uma isenção. Se tomar a vacina é uma violação de uma crença religiosa “mantida com sinceridade”, o Título VII da Lei dos Direitos Civis de 1964 poderia fornecer uma maneira de recusar  tomar a vacina.

Caso nenhuma dessas isenções se aplique, os funcionários podem ter algum recurso legal se sofrerem efeitos colaterais debilitantes após uma inoculação da Covid exigida pelo trabalho. Os advogados dizem que as reclamações provavelmente seriam encaminhadas para os programas de compensação do trabalhador e tratadas como lesão no trabalho.

“Mas existem limites ou limites significativos para os danos que um funcionário pode recuperar”, disse Dunn. Ele acrescentou que provavelmente seria difícil provar isso.

Os protocolos de vacinação obrigatória, no entanto, podem não acontecer até que o FDA aprove formalmente as vacinas e conceda à Pfizer e BioNTechou Modernauma licença para vendê-las, o que levará mais vários meses de dados para mostrar sua segurança e eficácia.

“Uma autorização de uso de emergência não é uma licença”, disse Reiss. “Há uma questão legal sobre se você pode exigir uma observação de emergência. A linguagem da lei é um tanto confusa sobre isso.”

50 mil por ano

O governo criou uma maneira de as pessoas recuperarem alguns danos caso algo dê errado após a imunização. Além da imunidade legal, a Lei PREP instituiu o  Programa de Compensação de Lesões por Contramedidas (CICP) , que oferece benefícios a indivíduos elegíveis que sofram lesões graves de uma das empresas Big Pharma protegidas.

O programa governamental pouco conhecido existe há uma década e é administrado por uma agência sob o HHS. Esse fundo normalmente lida apenas com vacinas que você provavelmente nunca tomaria, como as vacinas contra o H1N1 e o antraz .

Se um caso de compensação por meio do CICP for bem-sucedido, o programa fornece até $ 50.000 por ano em salários perdidos não reembolsados ​​e despesas médicas do próprio bolso. Não cobrirá taxas legais ou qualquer coisa para compensar a dor e o sofrimento.

Também é limitado ao benefício por morte de US$ 370.376, que é o máximo que um membro sobrevivente da família recebe no caso de uma vacina Covid ser fatal.

Mas especialistas especializados em legislação de vacinas dizem que é difícil navegar. “Este programa de compensação do governo é muito difícil de usar”, disse Reiss. “O padrão de compensação é muito alto.”

Também preocupante para alguns advogados de lesões por vacina é o fato de que o CICP rejeitou a maioria dos pedidos de indenização feitos desde o início do programa, há 10 anos. Das 499 reivindicações apresentadas , o CICP compensou apenas 29 reivindicações , totalizando mais de US$ 6 milhões.

“As pessoas prejudicadas por uma vacina da Covid merecem uma compensação rápida e generosa. A Lei PREP não faz isso”. – Dorit Reiss – PROFESSOR DA HASTINGS COLLEGE OF LAW DA UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA

David Carney, vice-presidente da Vaccine Bar Association, disse que o CICP pode negar uma reclamação por uma série de razões. “Uma razão pode ser que os registros médicos não apoiam  uma alegação de lesão”, disse Carney, que regularmente lida com casos de lesões por vacina.  

Postado por INSPIRAÇÕES

Creditos ao siteThoth3126@protonmail.ch.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

A humanidade de hoje ainda não esta preparada...

 

CIENTISTA ISRAELENSE DIZ QUE ALIENS PEDIRAM PARA NÃO SEREM REVELADOS NESTE MOMENTO..

Em 2017 na campanha para eleição do 45º. Presidente dos USA – D. Trumpalegava revelar a existência dos “aliens” em nossas vidas. Prometeu desvendar os mistérios do espaço que nos abraça…mas como estamos carecas de saber, isso não será tão fácil assim.

Essa “revelação” mundial seria uma mudança tão radical na percepção dos humanos quanto uma quarta guerra mundial, uma pandemia 3 vezes mais abrangente que a peste negra, um tsunami arrasador que cobriria todos os litorais de vários continentes ou um terremoto na escala 9 em Los Angeles/Califórnia…
Como vê… isso não será revelado ao TODOS, mas a poucos que já sabem tudo o que precisam saber sobre “eles” e sua gestão no planeta desde sempre.
Curiosamente li semana passada que um EX-chefe do programa de segurança espacial de Israel, o Prof. Haim Eshed que recebeu o Prêmio de Segurança de Israel três vezes, duas vezes por invenções tecnológicas confidenciais revelou a um jornal de grande importância em Israel que os “aliens” não querem que contassem sobre eles agora… o povo não está preparado ainda…
Eshed tem 87 anos, atuou na unidade tecnológica da Divisão de Inteligência do IDF em cargos de pesquisa e desenvolvimento – foi enviado pela Inteligência Militar do IDF para fazer um doutorado em engenharia aeronáutica nos Estados Unidos. Quando voltou, foi nomeado chefe do departamento de pesquisa e desenvolvimento do Corpo de Inteligência de Israel.
Será que esse “especialista” em tecnologia confidencial está doido
Na edição do Shabat do Yedioth Aharonoth, o jornal de maior circulação de Israel, ele disse:
Se eu tivesse explicado o que estou dizendo hoje, cinco anos atrás, teria sido hospitalizado. Onde quer que eu tenha ido com isso na academia, eles diriam: o homem perdeu a cabeça. Hoje eles já estão falando diferente. Eu não tenho nada a perder. Recebi meus diplomas e prêmios, sou respeitado em universidades no exterior, onde a tendência também está mudando
Os alienígenas não querem anunciar que eles estão aqui, a humanidade ainda não está pronta. ”

O Prof. Eshed disse a Yedioth, entre outras coisas, que Trump estaria prestes a revelar sobre a presença alien, mas os alienígenas pediram um tempo para que as pessoas se acalmassem primeiro. Eles não querem iniciar uma histeria em massa. Eles querem primeiro nos tornar sãos e “compreensivos” (?).
Prof. Eshed segue afirmando que existe um acordo entre o governo dos EUA e os alienígenas – (o que nunca foi novidade para os que conhecem bem o assunto – sabemos que eles usam humanos para experiências bizarras em troca de novidades tecnológicas para a macacada se divertir – somo seu Smartphone e outros)
Confirma também que existe uma base subterrânea nas profundezas de Marte, onde estão seus representantes e também astronautas americanos.
Nada que a gente também já não saiba há muito tempo. Não é à toa que Elon Musk está com pressa de pousar em Marte antes que tudo fique pior por aqui…
Perceba que as informações estão chegando aos poucos, mas mais aceleradas do que no passado. O que para um lado é bom… mas para outro… é sinal que vem bomba aí, prepare-se.

Postado por INSPIRAÇÕES

Créditos Site Extraterrestre

Fonte: Laura botelho